Blog dedicado ao mundo da corrida e do desenvolvimento pessoal

.favorito

. Estás Motivado?

. A Roda da excelência

. Psicologia das lesões, ou...

. Corredores, quem somos nó...

. Correr, para quê?

. Projecto Espaço Jovem - C...

. O Furacão da Estrada – hi...

. A viagem

. O “baldas” mais aplicado ...

. A excelência aqui tão per...

.arquivos

. Novembro 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Maio 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Visitantes

.Entrevista CorreComAlma RCSantarém

.Berlin 2009

.You Ready?

.Carlos Lopes - voltaremos a ter outro?

.Why I Run

Segunda-feira, 28 de Fevereiro de 2011

Hoje tive um sonho

China wall

 

Hoje tive um sonho. Nesse sonho encontrei um grupo de pessoas numa viagem, uma espécie de expedição, de procura, vivência e descoberta em plena natureza.

Na fase inicial seguíamos juntos conversando, convivendo e apreciando as maravilhas da paisagem – o verde, os pássaros e a imensidão do horizonte.

Entretanto o grupo começou a dispersar-se, os acidentes de terreno, subidas e descidas ditaram que cada um seguisse o seu próprio ritmo.

Numa das ligeiras subidas o caminho conduzia-nos por um grande poço. Ao olharmos dava para ver que a porcaria no poço era mais que muita. Logo, houve quem quisesse saltar para dentro do poço e seguir viagem saindo como podia desse mesmo poço. Houve quem contornasse o poço fingindo que não estava ali. Houve quem voltasse para traz. E houve quem ficasse a assistir a ver o que os colegas faziam.

Eu, a princípio estava com medo, mas logo me decidi saltar para dentro do poço. A saída foi difícil, a merda era até à cabeça, mas no final a sensação foi…, indescritível!

Os que se atreveram a passar no poço logo nos voltamos a encontrar, riamo-nos uns dos outros, cada um mais sujo que o colega. Lá seguimos viagem.

Entretanto demo-nos conta que quando começaram a aparecer novas dificuldades no caminho, desta vez era uma montanha com uma inclinação bastante considerável, os colegas que anteriormente não quiseram passar pelo poço não tinham a mesma habilidade que nós, para superar este novo desafio que a mãe natureza nos proporcionou.

Chegámos ao topo do monte e apreciamos a paisagem por uns momentos. Tínhamos de seguir mas parecia não existir continuação – havia que saltar, mas não se via o local onde íamos cair. A outra opção era voltar para traz, não se vendo de momento caminho alternativo.

Uma amiga, de imediato saltou. Gritei, “estás tonta, vais-te partir toda”. Por momentos ficamos sem saber o que lhe aconteceu. Ela arriscou o salto e logo encontrou capacidades para absorver o impacto da queda. Disse que estava muito bem, o salto parece grande e daí de cima parece que a distancia ainda é maior, mas quando arriscas logo descobres mais dos teus próprios recursos que desconhecias…

P.S. Qualquer semelhança deste sonho com a realidade é pura coincidência, hehe, lindo e venham os saltos para o desconecido.  

publicado por ppmiguel às 10:57
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.CorreComAlma.com

Blog de apoio ao site www.correcomalma.com

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.fotos corrida

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds