Blog dedicado ao mundo da corrida e do desenvolvimento pessoal

.favorito

. Estás Motivado?

. A Roda da excelência

. Psicologia das lesões, ou...

. Corredores, quem somos nó...

. Correr, para quê?

. Projecto Espaço Jovem - C...

. O Furacão da Estrada – hi...

. A viagem

. O “baldas” mais aplicado ...

. A excelência aqui tão per...

.arquivos

. Novembro 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Maio 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Visitantes

.Entrevista CorreComAlma RCSantarém

.Berlin 2009

.You Ready?

.Carlos Lopes - voltaremos a ter outro?

.Why I Run

Quinta-feira, 18 de Dezembro de 2008

15 minutos de raiva!!

 

Olá amigos,
Sabem aquelas alturas em que tentamos fazer tudo bem feito, analisar o processo para tentar perceber porque alguma coisa não vai bem, corrigir e esperar, e esperar e esperar… E nada, não há meio disto ir ao sítio.
Pois bem, tenho andado com um problema num joelho que me tem impedido de correr (ou melhor de correr normalmente, porque eu correr, corro à mesma mas com limitação e muito devagar como é obvio).
Bem a coisa começou com uma ligeira dor na perna esquerda, uma ligeira inflamação no tibial anterior, as tão conhecidas “canelites”. Como isto não é novidade aqui para o jovem, o que é que eu fiz, fiz o habitual abrandamento dos treinos. Entretanto vem uma competição e lá vai ele todo contente. Começo o aquecimento e parece que me dói qualquer coisa, logo penso, “com um bom aquecimento isto vai ao sítio”. Engano meu! Vem então aquele momento magnífico da dúvida existencial, eu comigo mesmo – “vou, não vou, vou não vou, isto dói-me, não dói assim tanto, não sejas maricas…, baaaaahhhh, e agora o que é que eu faço? O que é que realmente me apetece fazer? Correr, eu vim aqui foi para isso”. E lá fui eu, 7kms, primeira metade todo encolhido e a correr de forma incorrecta mas com o esforço, a partir de metade, as dores decorrentes da fadiga já são em todo lado e portanto onde doía (na perna) parece que deixou de doer.
Terminada a prova, com uma prestação bastante interessante para o momento da época, aparentemente estava tudo normal. No dia seguinte, ligeira corrida na relva e parece que não é nada de grave, apenas as dores habituais a seguir a um esforço aeróbio intenso. Dois dias depois, saio com a malta para uma corrida na mata. Fase inicial e parece que o problema é grave, como o jovem não é nada persistente a fugir para o teimoso, segui e claro…, após 7 ou 8 minutos não dava mesmo para continuar e regressei quase a andar. Repouso, gelo, duas ou três sessões de electroterapia e parece que a coisa estava a ir ao sítio.
Na semana seguinte nova corrida e depois da avaliação de véspera, novas dúvidas existenciais, “vou não vou, isto já está bom ou não?”. Lá fui, qual teimoso que ele é…., irra que dessa vez já foi a fugir para a burrisse, pois até durante a noite não passei muito bem, com espirros e algumas dores no corpo. Depois dessa, paragem total no que toca a corridas. Entretanto reinicio de corrida e parece que a dor passou para o joelho. Foram-me então recomendados alguns exercícios pelos fisioterapeutas – bicicleta, piscina, trabalho proprioceptivo, reforço do joelho com exercícios monoarticulares, enfim… Sigo à risca, e chega a altura de reinício da corrida novamente. Primeiro dia impecável até aos 25 minutos. Dias seguintes…, para esquecer!! Ora dói na parte lateral esquerda da tíbia, ora na direita, ora ao centro, ora mais abaixo, ora mais acima, enfim… Mas a dor é sempre ligeira, às vezes tão ligeira que parece que não dói nada, mas o sistema proprioceptivo insiste em dar informação que qualquer coisa não está bem – corro com medo, não quero mas faço-o inconscientemente.
A fisioterapeuta sugeriu então que consultasse o médico e avaliação mais rigorosa através de ressonância magnética a fim de comprovar a sua desconfiança de problema na cápsula articular, o que torna o joelho instável. Ora, como eu sou apologista da teoria de um famoso cirurgião americano – que defende que os seus doentes corredores só o devem consultar depois de tentarem todas as medidas que acham que auxiliam a sua recuperação, pois melhor do que ninguém, o próprio é que sabe o que sente.
Assim, tenho andado a tentar realizar essa mesma recuperação, os exercícios referidos e as corridas suaves na relva. Ora como o tempo vai passando e os cuidados já me parecem ser mais que muitos, ontem durante a corrida decidi experimentar algo novo – o que teoricamente não deveria fazer. Começo a corrida lenta e parece que não dói nada, mas que existe limitação, existe – tento correr normalmente, sem coxear, mas… Questiono-me então novamente como já o tinha feito, se o problema será mental e psicológico (consciente ou inconsciente). Continuo e parece que começa a doer e vou mesmo a coxear. Decido então começar a correr de maneira diferente, um pouco mais rápido para quebrar a monotonia daquele ritmo lento, e claro que o objectivo era correr de forma natural. Cada vez mais rápido, parece que está lá qualquer coisa que me obriga a coxear, começo a irritar-me à séria, aumento ainda mais o ritmo. Entretanto chega o funcionário do estádio que me diz que não posso correr naquela relva – a raiva aumenta, apeteceu-me responder-lhe mal, mas como ele não tem a culpa da minha limitação e da minha lesão, não digo nada e decido correr ainda mais rápido, de raiva. Tinha uns 10 ou 11 minutos e segui até aos 25 com os últimos 5 mesmo muito rápidos como se de uma prova se tratasse, eventualmente mais rápido tal era a raiva.
No final, não sabia o que ia acontecer, o joelho aparentemente não doía mais nem menos. Não sabia se no dia seguinte iria sequer levantar-me, simplesmente não sabia, aqueles 15minutos pareceram de louco e insensatos, mas que me deram puro gozo, ai isso deram.
Amanhã vou consultar o médico e sigo,
Vivendo com alma,
Amando com alma,
Quanto a correr com alma estou confiante que será para breve.
                 
publicado por ppmiguel às 00:32
link do post | comentar | favorito
| | partilhar
5 comentários:
De Silvia a 18 de Dezembro de 2008 às 17:48
Momentos d raiva... momentos insensatos... elouquecer... durante 1 minuto... 15minutos... 1hora... dias... quem não os tem...?
E como dizes, "q dão gozo" às vezes, lá isso dão!

Na minha ideia, há que tê-los "q.b." na nossa vida, se não a monotonia, o desespero, o desgaste, o lado menos sorridente da vida apanha-nos e não nos larga... =)

Agora equilibrar com a sensatez d ir ao médico e algum exame, e trabalhar para a recuperação de acordo com o resultado, parece-me também uma boa decisão... Ah, e espero que te tenhas levantado sem problemas tambem! ehehe

*beijinho*
De ppmiguel a 20 de Dezembro de 2008 às 18:36
Ora, ora, quem voltou, a minha "nova prof. de inglês". Sim, já fui ao médico e parece k ñ é nada de grave, mas vou ter de realizar uma ressonância magnética - o problema deve ser de origem proprioceptiva e então para já posso fazer tudo o que não cause dor.
Agora vem a parte boa - entre o trabalho proprioceptivo para além da plataforma instável, agora estou a andar/treinar skate, pode ser k ajude na preparação p o surf. E, adivinha com quem eu vou surfar? Eh,eh...
Beijinho grande e bom fds p ti
De Brito a 20 de Dezembro de 2008 às 19:40
Força nisso Paulo, axo que tb vou fazer um desses treinos de raiva, aqui para este lado a coisa tb não anda famosa, mas só vou tentar depois da São Silvestre de Lisboa, pode ser que até lá a coisa melhore.


Nota: Como sou leitor assiduo do teu Blog, e o considero um espaço de grande nível indiquei-o para o prémio dardos, para saberes mais promenores é consultar o meu blog.

Bons treinos e melhores provas

EntroncamentoRunneres
JCBrito
De omeumundoimaginario a 7 de Fevereiro de 2009 às 03:13
15m de raiva? os meus costumam durar bem mais XD agora fora de brincadeiras, espero que já esteja tudo bem.. O blog..5*, agora estas musicas.. já ouvi algumas reclamações :P
De ppmiguel a 7 de Fevereiro de 2009 às 19:04
Ora, ora, então vocês reclamam das músicas - as mais pesadas não são para aqui e depois é simples, clicas aí nesse botão do lado direito, abaixo dos links de blogs, et voilá, hehe!
Quanto à raiva que dura mais de 15mins..., já corres e gostas de correr. Pensa se não será uma boa forma de a libertar - é só aumentar um pouco o ritmo. Cansa um pouco mais, mas no final sabe muito mas mesmo muito bem.
Beijinhos e obrigado pela visita.

Comentar post

.CorreComAlma.com

Blog de apoio ao site www.correcomalma.com

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.fotos corrida

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds