Blog dedicado ao mundo da corrida e do desenvolvimento pessoal

.favorito

. Estás Motivado?

. A Roda da excelência

. Psicologia das lesões, ou...

. Corredores, quem somos nó...

. Correr, para quê?

. Projecto Espaço Jovem - C...

. O Furacão da Estrada – hi...

. A viagem

. O “baldas” mais aplicado ...

. A excelência aqui tão per...

.arquivos

. Novembro 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Maio 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Visitantes

.Entrevista CorreComAlma RCSantarém

.Berlin 2009

.You Ready?

.Carlos Lopes - voltaremos a ter outro?

.Why I Run

Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

O Furacão da Estrada – histórias dum corredor

 

Em todas as equipas ou grupos há algumas pessoas muito divertidas e com um sentido de humor sui-generis. No nosso grupo de treinos, um deles para além de sentido de humor apresenta de quando em vez uns recortes artísticos e imaginação bastante avançados – intitula-se como o Furacão da Estrada.
O Furacão da Estrada é o tipo de corredor “papa-quilómetros”, pelos seus treinos que habitualmente incluem uma extensão bastante elevada, sendo que já participou em várias maratonas. Até há uns anos atrás, mesmo quando participava em provas mais curtas as suas sessões incluíam muito trabalho de corrida contínua prolongada em baixa intensidade, pelo que, quer a prova fosse mais longa ou de menor distância (3km, 7km, 16km, etc…) o seu ritmo era quase sempre o mesmo. 
Numa fase em que decidiu passar a realizar algum trabalho de alta intensidade e controlado na pista (as vulgarmente chamadas séries – treino intervalado ou por repetições – ver este artigo), passou efectivamente a melhorar as suas prestações em provas mais curtas e foi sensivelmente nessa fase que passou a auto-intitular-se como “o furacão da estrada”. Os seus treinos decorriam (e decorrem) normalmente entre as 15.00h e as 17.00h, pelo que terminava antes de todo o restante grupo iniciar. Á data passou a deixar, para os colegas, no placard informativo uns bilhetes muito interessantes e com um ar de comédia atlética espectacular. Os primeiros não eram assinados e ninguém sabia do que se tratava. Mas entretanto o autor perdeu a timidez e passou a assinar as obras. Eu guardei um deles que passo a transcrever:    
 
AVISO À NAVEGAÇÃO
Avisa-se a navegação entre Santarém e Rio Maior que se está a formar um anticiclone de alta pressão, ciclone esse tropical de origem Alcatrão, onde se prevê que chegue à Península Ibérica dia 27-9-99, sendo o seu epicentro no Estádio Municipal de Rio Maior.
Este anticiclone irá aumentar de intensidade temendo-se que passe a tornado lá para os finais de Novembro/Dezembro com ventos muito muito fortes temendo-se que chegue a levantar e partir estradas por onde passe.
A Protecção civil temendo o pior aconselha as populações em geral a ter muito cuidado dando alguns conselhos:
  • Não saia de casa entre as 15.00 e 17.00h a partir do dia 27-9-99;
  • Se vive junto ao Estádio Municipal feche bem as portas e janelas, reforçando mesmo as fechaduras;
  • Não circule de automóvel;
  • Não circule de bicicleta porque à sua passagem pode ser arrastado;
  • Se tiver que sair de casa então vá de rastos (rastejar) para não ser levado com a deslocação do vento;
  • Use óculos contra pedras e poeira
Estes são alguns conselhos que a protecção civil aconselha, no entanto todo o cuidado será pouco.
A Administração
C.M.C.
(o furacão da estrada)
 
Durante umas semanas era só rir, e especialmente quando as competições lhe corriam menos bem, de furacão da estrada passavam logo a surgir outros nomes de simbologia e significado meteorológico mais calmo. Não obstante o furacão da estrada sempre continuou e continua a correr com alma.
 
 
publicado por ppmiguel às 22:51
link do post | comentar | favorito
| | partilhar
3 comentários:
De Mafalda Carapeto a 6 de Janeiro de 2009 às 23:16
Brutal! Só não sei onde é que meu pai foi buscar tanta inteligência para escrever isto! Ahahahah


Continua com o blog e passa no meu...
Saudações motricitárias!
De ppmiguel a 6 de Janeiro de 2009 às 23:25
Olá Carapetinha,
Bem-vinda ao meu blogue. É, escreveu este e outros que eu me parece que guardei uns quantos, mas só encontrei este. Pena, porque acho que havia outros ainda mais fixes. Mal sabia eu que anos mais tarde ia dar p por num blog..., espetáculo, hehe!
Beijinhos e vai correndo que há aqui pessoal a perguntar por ti (ja temos muito regressados)
De Jogos de Carros a 24 de Abril de 2011 às 01:18
Bom post, Ricardo

Comentar post

.CorreComAlma.com

Blog de apoio ao site www.correcomalma.com

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.fotos corrida

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds