Blog dedicado ao mundo da corrida e do desenvolvimento pessoal

.favorito

. Estás Motivado?

. A Roda da excelência

. Psicologia das lesões, ou...

. Corredores, quem somos nó...

. Correr, para quê?

. Projecto Espaço Jovem - C...

. O Furacão da Estrada – hi...

. A viagem

. O “baldas” mais aplicado ...

. A excelência aqui tão per...

.arquivos

. Novembro 2016

. Janeiro 2016

. Maio 2015

. Fevereiro 2015

. Dezembro 2014

. Setembro 2014

. Maio 2014

. Fevereiro 2014

. Dezembro 2013

. Outubro 2013

. Setembro 2013

. Junho 2013

. Agosto 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Dezembro 2011

. Outubro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Janeiro 2010

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Agosto 2008

. Julho 2008

.Visitantes

.Entrevista CorreComAlma RCSantarém

.Berlin 2009

.You Ready?

.Carlos Lopes - voltaremos a ter outro?

.Why I Run

Quarta-feira, 5 de Janeiro de 2011

CorreComAlma 2011, O caminho

Apresento-vos um vídeo que criámos para este inicio de ano de 2011.

Pretende ilustrar como uma subida à magnifica Serra dos Candeeiros pode ter muito a ver com o caminho da vida de cada um.

Espero que gostem e divulguem aos vossos amigos.

Abraços e bom caminho para 2011

publicado por ppmiguel às 02:52
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
| | partilhar
Segunda-feira, 14 de Junho de 2010

A forma como corres diz muito acerca de ti

Tenho a convicção que a forma como cada atleta corre, mais do que aspectos físicos e técnicos, traduz a sua personalidade e o seu modo de estar.

Quando treinava para participar em competições, apesar de participar em várias provas os 800m eram e são a corrida que mais me entusiasma.

O corredor de 800m tem de combinar várias características, tem que ser rápido porque a prova é curta, tem que ser resistente porque são 2 voltas à pista e tem que ter força rápida e resistente para quando existem mudanças de ritmo ou para o sprint final. Para além disso, a escolha do ritmo ideal e a iniciativa ou resposta a ataques dos adversários exige muita inteligência táctico-estratégica. Outro aspecto que se exige a estes atletas, é que corram muito rápido, mas de forma eficiente, i.e., consumindo muito pouca energia com uma corrida bastante fluida e dinâmica.  

Volvidos mais de 10 anos após as minhas melhores prestações, recordo agora as principais recomendações e observações que me faziam colegas e o treinador – “tens de correr mais descontraído, fazes muita força e gastas energia desnecessariamente” especialmente nos braços e tronco (digo agora). Passados todos estes anos, dou por mim a reflectir que essas características são as mesmas que transporto na minha bagagem pessoal, no meu modo de estar, na minha personalidade e no meu empenho a cada projecto que tomo parte.

Naquelas provas, geralmente eu era um corredor com muita ambição e muito determinado. Lançava-me num ritmo diabólico e com uma intensidade que julgava suportar até final da prova – muitas vezes não o conseguia, “rebentava” (ou se quiserem a expressão mais utilizada por atletas e treinadores, “dava o berro”). Ora, de momento a cada projecto que ponho mão à obra a atitude é a mesma, de forma apaixonada e com máximo empenho.

Dou por mim a pensar que continua a faltar-me a tal fluidez, o toque de cada passada num misto de força leveza e suavidade. É a gestão da energia de forma eficiente, gastando onde é preciso gastar, e da força disponível de forma eficaz aplicando onde e quando é necessário aplicar.

Do que me é dado a observar às características de outros atletas, parece-me passar-se o mesmo, as suas características técnicas, de estrutura anatómica e do modo como correm dizem muito da sua personalidade.

Faz-me todo o sentido esta reflexão e por tal facto desafio-vos corredores a conhecerem a vossa corrida, acham que ela diz muito de vós?

publicado por ppmiguel às 00:30
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
| | partilhar
Terça-feira, 4 de Novembro de 2008

Corredores, quem somos nós...

 

Dizia-me ontem, no final de uma corrida de estrada, um companheiro de prova, “Epá tenho que ter mais cuidado com a alimentação. Se eu não gostasse tanto de doces e não abusasse…, eu como muitos doces!,… talvez tivesse menos uns 2 ou 3 quilitos e conseguia andar mais nas provas”. Eu respondi, “pois eu também gosto muito de doces e acho que se fizesse o mesmo também renderia mais, mas também temos que ver que andamos nisto pelo gozo que nos dá, e certamente que será melhor fazer mais 20 ou 30” numa prova de 7km, ou 1minuto numa de 10 e não seguir um regime tão duro, podendo comer o que nos apetece”. Acrescento agora que à parte estes pequenos excessos de quando em vez (sim, eu sei que sou muito guloso), claro que para qualquer pessoa uma alimentação equilibrada é recomendável, pelo que para corredores competitivos também o será.
A propósito de rendimento em competição, vejamos quem são os corredores competitivos e os outros. Embora não haja uniformidade na subdivisão que é feita nas poucas publicações que abordam o tema, de momento arrisco a seguinte sistematização a partir das marcas efectuadas numa prova de 10kms, geralmente as mais concorridas:
  • Elite Mundial – Menos de 27min30”;
  • Internacionais – Atletas com menos de 29mins.;
  • Top Nacional – Atletas federados com marcas até 31mins.;
  • Corredor popular de Nível 1 – Atletas federados ou não federados com marcas entre 32 e 35mins;
  • Corredor popular de Nível médio – Atletas federados ou não federados com marcas entre 35 e 40mins (de momento é o nível que me encontro, mas não perco a esperança de passar para o nível acima);
  • Fun Runner – corredor que participa em provas mas geralmente sem grandes intuitos competitivos e não federado, com marcas entre 40 e 45mins;
  • Fitness Runner – corredor que raramente participa em competições mas corre com regularidade 2 a 3x/semana, com marcas acima dos 45mins.  
Quanto às senhoras deve acrescentar-se 3 a 5mins nos primeiros grupos e 6 a 8 mins para os restantes grupos.
            Apesar de grupos de performance diferente, num estudo com cerca de 500 corredores, mais de 90%, referiu que se sente mais feliz, relaxado e equilibrado após uma hora de corrida de intensidade baixa ou média. Referiram os autores desse estudo que os cerca de 10% que não referiram aqueles efeitos são os “over ambitious group”, ou seja, aqueles atletas que podem fazer parte de qualquer dos níveis que sistematizámos acima, mas que estabelecem para si objectivos não realistas e que por tal facto acabam por nunca os conseguir e não retirar os efeitos positivos da actividade.
            Nesse mesmo estudo, um dos participantes sumariou o efeito de relaxação nas seguintes palavras, “Even if I am very stressed, after one hour of gentle running in the forest, I am relaxed, peaceful and no longer take out my bad moods on my children or my wife”. Depois destas palavras e apesar do meu relógio marcar horas mais recomendáveis para estar a dormir do que a escrever este post, limito-me a dizer que aguardo ansiosamente pela minha próxima sessão de corrida na mata, qual sensação de liberdade em contacto com a natureza. E continuarei,
-         A Correr com alma,
-         Amar com alma,
-         Viver com alma.
      
 
 
publicado por ppmiguel às 02:44
link do post | comentar | favorito
| | partilhar

.CorreComAlma.com

Blog de apoio ao site www.correcomalma.com

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.fotos corrida

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds